Cristo, Justiça Nossa

“Mediante a imputada justiça de Cristo, o pecador pode sentir que está perdoado, e saber que a lei não mais o condena, visto ele estar em harmonia com todos os seus preceitos. É seu privilégio considerar-se inocente quando lê acerca da retribuição que sobrevirá aos incrédulos e pecadores, e quando nisso pensa. Pela fé, apodera-se da justiça de Cristo, e corresponde com amor e gratidão ao grande amor de Deus em dar Seu Filho unigênito, que morreu, a fim de trazer à luz vida e imortalidade pelo evangelho. Reconhecendo-se pecador, transgressor da santa lei de Deus, olha à perfeita obediência de Cristo, à Sua morte no Calvário pelos pecados do mundo; e tem a certeza de que é justificado pela fé nos méritos e no sacrifício de Cristo. Compreende que a lei foi obedecida em seu favor pelo Filho de Deus, e que a pena da transgressão não pode cair sobre o pecador crente. A obediência ativa de Cristo reveste o pecador crente com a justiça que satisfaz as reivindicações da lei.” — The Youth’s Instructor, 29 de Novembro de 1894.

Ellen G. White, Filhos e Filhas de Deus, dia 21 de Agosto

Comments are closed.